CONDROMALÁCIA DA PATELA

 


 

Condromalácia da Articulação Fêmoropatelar


Embora tenhamos esta patologia inserida no grupo chamado Dor anterior no Joelho ou Síndrome da dor Fêmoropatelar. Acredito que este material poderá trazer muitos aspectos elucidativos aos pacientes, fisioterapeutas ou educadores físicos, de uma patologia tão frequênte na prática do consutório em cirurgia do joelho/esporte.

 

 

O que é a condromalácia da patela?


O termo refere-se especificamente a uma condição patológica resultante de alterações estruturais na superfície da cartilagem do joelho. Conceitualmente, "condromalácia" significa cartilagem (condro) amolecimento (malácia), isto é, amolecimento da cartilagem.
Estas modificações podem ser tão leves quanto amolecimento e descoloração da superfície brilhante da cartilage que normalmente é firme e de coloração branca (ver video, https://www.youtube.com/watch?v=R_qyMKjB9V4). Quando a causa persiste, iniciam-se as fissuras, podendo chegar até ao desgaste. Já nas fases mais avançadas resultando em perda espessura normal da cartilagem com a exposição do osso subjacente (osso abaixo da cartilagem). 
Na patela o processo pode ser localizado a uma pequena área ou pode envolver toda a superfície. Devido a esta variabilidade no grau de danos na cartilagem os sintomas experimentados pelos pacientes com condromalácia pode variar.
A patela auxilia o músculo quadríceps na extensão do joelho, fornecendo mais força a este mecanismo, assim, melhorando a sua vantagem mecânica. A sua superfície articular é a mais espessa do corpo (4-6 milímetros). Andando no nível do solo exerce uma força equivalente a metade da massa corporal, subir escadas entre 3-8 vezes o peso do corpo, e passando a um agachamento completo pode gerar forças oito vezes o peso corporal.

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O que causa a condromalácia?


Embora condromalácia pode desenvolver-se após uma lesão aguda no joelho (trauma direto , fratura ou luxação da patela), ou mais comumente, esta doença apresenta um início insidioso (em medicina insidioso quer dizer que juma patologia se manifesta quando a doença já evoluiu) não especificamente relacionado a qualquer evento traumático. 
Qualquer variação anatômica que resulte na má formação do trilho (“tracking) da patela (no sulco femoral) durante o movimento do joelho podendo expor a cartilagem a cargas maiores do que ela está condicionada a suportar, resultando assim em um atrito anormal. Os fatores predisponentes incluem variações anatômicas no sulco fêmoropatelar, hiperpressão patelar, desvios rotacionais da extremidade inferior ( traumático ou do desenvolvimento ) ou mal-alinhamento dos membros inferiores. As atividades físicas em excesso, o “step”ou “pump”ou ainda o “spinning”, os agachamentos com cargas excessivas e até cargas leves, mas que apresentem predisposição podem ser desencadeadoras.

 

Quem tem condromalácia com mais frequência?


A condromalácia é um pouco mais comum em mulheres do que homens e é visto com mais frequência durante a adolescência e adultos jovens, podendo ocorrer em qualquer idade. Mais comumente, é visto iniciar nas mulheres entre 15 a 30 anos. As atividades que exigem uma quantidade significativa dos movimentos dos joelhos como agachar e subir/descer escadas estão comumente associadas. Em corredores o aumento da distância ou terreno acidentado pode trazer sintomas da condromalácia mais precocemente.

 


Quais são os sintomas?


Embora os sintomas variam um pouco, ocorre geralmente uma dor dor na parte da frente dos joelhos durante após a atividade desencadeante. 
Com episódios sintomáticos pode haver um ligeiro inchaço ou sensação de rigidez no joelho. Muitas vezes existe uma crepitação - “barulho” - atrás da patella com os movimentos do joelho. Períodos prolongados na posição sentada muitas vezes resultam em uma rigidez no joelho e até dor. Agachar, subir e, em particular descer escadas pode provocar dor no joelho. 
A dor resulta de um aumento da pressão no osso sob a área da cartilagem anormal. Irritação do camada de revestimento da articulação do joelho devido a partículas de detritos da cartilagem produzem inchaço e dor inflamatória.

 


Como é diagnosticada condromalácia?


O diagnóstico é clínico e baseado nos sintomas e no exame do joelho sintomático.
Apesar de raios-x podendo ser úteis para demonstrar as variações anatômicas associadas com a condromalácia, eles podem não mostrar as primeiras mudanças que estão ocorrendo dentro da superfície da cartilagem da patela.
Artroscopia não é necessária para confirmar o diagnóstico. Um exame de ressonância magnética ou em alguns casos a tomografia computadorizada (CT) será necessário para avaliar a gravidade das lesões e ou deformidades ósseas presentes.

 


Qual é o prognóstico?


Embora condromalácia não represente qualquer forma de artrite, raramente isso pode resultar em grave dano permanente ao joelho. Os sintomas oscilam relacionados com a atividade do paciente. O tratamento visa reduzir a frequência e a gravidade dos episódios dolorosos e, eventualmente, eliminar os sintomas.



Qual é o tratamento para a condromalácia?


Uma forma de reduzir os sintomas da condromalacia é evitar ou modificar as atividades que agravam a doença. Um programa de exercícios de fortalecimento específicos, sempre cuidando o músculo quadríceps (extensor) e alongamento dos isquiotibiais reduzem os sintomas drasticamente. 
Uso do joelho após as atividades e uso ocasional de antinflamatórios ou analgésicos podem ser úteis. Uma tira sub-patelar estabilizadora pode ser benéfica em indivíduos com  problemas no “trilho” a patela.
A natação é geralmente a atividade mais bem tolerada no fitness. Na escolha de um programa de condicionamento físico, deve-se usar a dor e o inchaço como um guia. Outras técnicas de fisioterapia incluem o Kinesio taping, que auxilia correto tensionamento das estruturas e até alívio da dor.
Apesar de um programa de tratamento conservador, uma pequena porcentagem de pacientes com condromalácia vai continuar a sentir dor no joelho e alguma incapacidade significativa. Cirurgia às vezes está indicada nestes indivíduos. Uma variedade de procedimentos cirúrgicos para suavizar a superfície da cartilagem da patela e/ou realinhamento do complexo quadríceps-patela podem estar indicados, porém com ressalvas pois os pacientes podem ter uma piora da dor.
Estes procedimentos são realizados por artroscopia, embora ocasionalmente requerem a técnica cirúrgica aberta. Em casos muito raros e dramáticos, pode estar indicada a remoção complete da patela para aliviar a dor. Em geral, no entanto, a cirurgia para a condromalácia deve ser considerada apenas depois de todos os outros métodos de tratamento falharem.

As características clínicas :

  • Dor anterior do joelho

  • Ela ocorre mais em mulheres do que em homens

  • Dor associada com a descer escadas ou agachar

  • Crepitação

Tratamento:

  • O paciente deve tomar medidas para evitar atividades agravantes

  • Programa de fisioterapia para fortalecer e alongar quadríceps e isquiotibiais

  • AINEs (antinflamatórios)

  • Intervenção raramente operatório

DR. CÉSAR A. Q. MARTINS 
Especialista em Cirurgia do Joelho
Traumatologia Esportiva
ENDEREÇO
SOT - SERVIÇO DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA 
Avenida da Itaúbas, 1.879 - Jardim Paraíso
Sinop - MT   CEP 78556-138  Brasil
TELEFONES   (66)    3532 5265  
                        (66)  99910 9960

Copyright © 2018  César Martins | Todos os Direitos Reservados.    

Criação M2.Office